Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Gorongosa

MENU

O Parque Nacional da Gorongosa (PNG), como parte da responsabilidade social para com as pessoas que vivem à sua volta, decidiu financiar uma formação de 25 Agentes Polivalentes Elementares de saúde (APEs).

 

APE_1.jpg

Aspecto de uma das sessões de formação dos APEs

 

Estes novos agentes de cuidados de saúde, depois de 4 meses de formação intensiva, irão ajudar as suas respectivas comunidades a terem os primeiros cuidados sanitários de base comunitária. Esta iniciativa faz parte da missão do PNG, que deseja criar e garantir um ecossistema saudável não só para os animais e natureza dentro do parque mais também para as famílias que vivem na Zona Tampão (ZT), que são principais parceiros na preservação desse tesouro para todos os Moçambicanos.

 

Para cobrir os custos de formação, os kits de trabalho e os subsídios mensais para cada APE pelos primeiros dois anos, o PNG conta com o apoio generoso de parceiros na iniciativa de saúde nas comunidades da ZT (conhecido como o "Projeto Ecohealth") que incluiem USAID, Mount Sinai Global Health Center e Bristol Myers Secure the Future Foundation.

 

Faz tempo que a iniciativa de formação dos APEs não era levada a cabo pelo Ministério da Saúde. No entanto, em resposta às grandes preocupações que no dia a dia se verificam a nível das comunidades, há já um ano que se viu a necessidade de resgatar este quadro de saúde à escala nacional cujo objectivo fundamental é alargar os serviços de saúde para aquelas comunidades que ainda não têm unidades sanitárias, um curso que para o caso da Gorongosa, sem o patrocínio pontual do PNG, apenas seria possível a partir de 2014.

 

APE_2.jpg

As 14 comunidades da Gorongosa (6 delas da ZT do PNG) que passarão a ter APEs ainda em 2012

 

"O PNG e os recursos que encerra dentro de si só estarão de saúde se o ambiente em redor e as comunidades à volta gozarem de boa saúde. Estou a falar assim porque existe uma forte interdependência entre essas pessoas que vivem à volta do PNG e os recursos que estão dentro do PNG e na ZT. 

Daí que percebendo as enormes dificuldades que as pessoas, sobretudo mulheres grávidas, crianças e idosos, em redor do PNG passam para conseguirem ter acesso aos serviços básicos de saúde, o PNG e seus parceiros não hesitaram em financiar uma formação que directa ou indirectamente vai contribuir para a melhoria do nível de saúde das pessoas das comunidades com que o mesmo PNG interage todos os dias no esforço conjunto para a conservação dos recursos." Frisou Pedro Muagura, que representou o Administrador do PNG durante a cerimónia de abertura solene do curso dos APEs.

 

"Os APEs das 14 comunidades da Gorongosa provêm exactamente dos povoados situados muito distantes de alguma unidade sanitária. A selecção de cada candidato foi feita pelas próprias comunidades através de voto de confiança. Depois de formados, os colegas passarão a servir de elos de ligação entre o sector da saúde e a comunidade. Serão a extensão dos nossos serviços de saúde naquelas comunidades." Disse Jerónimo Titos Langa, Director dos Serviços Distritais de Saúde, Mulher e Acção Social da Gorongosa.


APE_3.jpg

Da esq. para a dir: Pedro Muagura, Paulo Majacunene e Jerónimo Titos Langa

 

"As nossas comunidades sempre se queixam da falta dos serviços básicos de saúde e de percorrer enormes distâncias para conseguirem tratamentos elementares. Com a vossa formação, vocês vão reduzir o grande sofrimento a nível de saúde local. Empenhem-se muito porque as próprias comunidades que vos escolheram, ansiosamente esperam pelo vosso regresso para servirem de promotores da saúde comunitária lá dentro das zonas. Cada um de vocês deve esforçar-se para sair daqui apto para servir as comunidades." Exortou o Administrador do Distrito da Gorongosa, Paulo

Majacunene.

 

São responsáveis pela formação, supervisão e apoio técnico deste curso, os Serviços Distritais de Saúde, Mulher e Acção Social da Gorongosa e a Direcção Provincial de Saúde de Sofala assegurando que o curriculum ministrado seja igual ao padrão da formação dos APEs e siga rigorosamente as normais nacionais de saúde.

 

Este curso, que decorre no Centro de Azemo, na vila municipal da Gorongosa, é coordenado pelo técnico de medicina preventiva, Sérgio Ernesto Correia, tendo como director o agente da medicina geral, Salvador Francisco Jemusse, e conta ainda com a presença da enfermeira de saúde materno infantil, Lily Santos, um enfermeiro geral, Pinho Murive, e a gestora do Projecto Ecohealth, Corina Clemente, que complementam a equipa.


APE_4.jpg

    Sérgio Ernesto Correia, o coordenador do curso dos APEs na vila da Gorongosa

Pesquisar

Pesquisar no Blog

Últimos comentários