Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Gorongosa

MENU

O restaurante Moyo na marginal de Durban, foi a localização adequada para acolher os representantes da indústria de Safaris que ficaram a conhecer os finalistas e os vencedores dos "2011 Safari Awards", num total de 21 categorias.

Este evento funcionou de forma perfeita como uma antecipação do que viriam a ser 4 energéticos dias de total imersão e frenética interacção da Feira de Turismo - Indaba 2011.

Apesar de estar apenas no seu terceiro ano de actividade, "Explore Gorongosa" foi o vencedor em duas categorias do "2011 Safari Awards": "Best New Safari Camp in Africa" e "Best Ecological Safari Property in Africa".

 

award_1.jpg

Os "2011 Safari Awards" ganhos por "Explore Gorongosa"

 

Situado no mundialmente famoso Parque Nacional da Gorongosa, uma jóia que está a ser descoberta pelo circuito Africano de safaris, "Explore Gorongosa", é a primeira iniciativa privada de ecoturismo na história do Parque.

 

As luxuosas experiências de safaris do "Explore Gorongosa" são levadas a cabo por guias especializados em algumas das áreas mais bonitas e repletas de fauna bravia de Moçambique, enquanto simultaneamente se fundamentam no princípio de causar um impacto ecológico mínimo no nosso planeta.

 

A região da Grande Gorongosa é ímpar do ponto de vista ecológico e fica situada no extremo sul do Grande Vale do Rift Africano; como tal é uma região com grande diversidade de espécies e com caraterísticas ambientais sem comparação no sub-continente.

 

A chave para a biodiversidade e para a preservação de habitats no nosso planeta é a protecção de áreas de importância ecológica, tais como o Parque Nacional da Gorongosa e a respectiva bacia hidrográfica, como é o caso da vizinha Serra da Gorongosa.

 

Trata-se na verdade de uma emocionante história de esperança, em que a organização Americana sem fins lucrativos "Gorongosa Restoration Project", em conjunto com o Governo de Moçambique, estão a proteger e restaurar o ecosistema do Parque Nacional da Gorongosa e a desenvolver a indústria do ecoturismo de forma a beneficiar as comunidades locais.

 

Após a assinatura de um contrato de co-gestão do Parque com o Governo por 20 anos e o excelente progresso efectuado ao estabelecer operadores turísticos, como por exemplo "Explore Gorongosa", enquanto parceiros fundamentais, a jornada para restaurar "O Paraíso Perdido de África" começou da melhor forma.


award_0.jpg

A equipa do "Explore Gorongosa": Greg Reis, Jos Janisch e Rob Janisch

 

"Estamos muito orgulhosos e imensamente satisfeitos por ter ganho estes dois prémios. Ser reconhecido como o "Best New Safari Camp in Africa", é uma prova da filosofia que adoptámos na "One Africa", e também de que temos tido sucesso em renovar o sentido original da palavra "Safari", ao substituirmos o comercialismo com a paixão e a união com a terra, com a fauna bravia e com as pessoas, em prol dos nossos convidados.

 

Complementarmente, ao ganharmos também o "Best Ecological Property in Africa, este prémio tem um grande significado para nós, porque é essencial para o "Explore Gorongosa e genuína, em todos os detalhes do nosso produto, a obsessão pela sustentabilidade e por sólidos princípios ecológicos.

 

Obviamente, como em quase tudo na vida, o sucesso é criado por quem nos rodeia, e por isso agradecemos a todos os que tornaram isto possível: os nossos convidados, os nossos parceiros da indústria turística, os nossos colaboradores no terreno, e a Greg Carr, Mateus, Todd, Vasco, Carlos, Franziska e aos restantes membros da equipa do PNG, e claro à própria Gorongosa, de quem continuaremos orgulhosamente a fazer parte!", afirmou Greg Reis, co-fundador da "One Africa", o proprietário da operação de safaris "Explore Gorongosa" em Moçambique.

 

"Existem mais de três mil "safari lodges, camps and mobile safari operators" em África e existe uma necessidade de criar uma diferenciação entre aqueles que proporcionam uma experiência de safari mediana ou sofrível e aqueles que excedem as expectativas. A chave para medir a excelência de uma experiência de safari é a análise da mesma de forma cabal. O objectivo dos "Safari Awards" é o de reconhecer esta excelência entre os melhores operadores e "safari lodges" de África.


award_2.jpg
Todd Hasselbeck (PNG), Greg Reis (EG), Vasco Galante (PNG)

 

Desde a sua criação em 2008 os "Safari Awards" têm-se vindo a destacar, e são vistos cada vez mais como o ouro-padrão da indústria.

 

Em 2011 o número de categorias premiadas cresceu para 21. Com nomeações provenientes de mais de um milhar de profissionais da indústria turística, e de centenas de leitores de revistas como "Conde Nast Traveller", "Tatler", "Brides" e "Travel Africa" podemos estar seguros de que qualquer operador de safaris nomeado para um "Safari Award" está entre os melhores do seu género.

 

Os finalistas fazem parte dos melhores 3% de África e os "Safari Award Winners" são sem dúvida os melhores dos melhores, com uma reputação conseguida através da sua excelência. Com empreendimentos Moçambicanos de safaris a conseguir 4 primeiros prémios, um segundo prémio e um largo conjunto de finalistas em 2011, não há qualquer dúvida que Moçambique está rápidamente a tornar-se um destino de eleição", afirmou Rosanne Cobb, Fundadora e Editora Executiva do "Good Safari Guide".

 

Para finalizar, podemos afirmar que no contexto holístico do Projecto de Restauração da Gorongosa, que visa fazer reviver a fauna bravia e integrar as comunidades circundantes num modelo sustentável que garanta o futuro do Parque, as recentes proezas do "Explore Gorongosa", são prova adequada de que esta história de esperança tem ainda muito mais capítulos por escrever.


award_3.jpg

    Rob Janisch (EG), Greg Reis (EG), Fernando Sumbana Junior (Ministro do Turismo de Moçambique), Fernando Fazenda (Alto-Comissário de Moçambique na África do Sul) e Jos Janisch (EG).

Censo de Fauna Bravia no Parque Nacional da Gorongosa

Parque Nacional da Gorongosa 5 Mai 11

Uma equipa de especialistas do Parque Nacional da Gorongosa efectuou um censo da fauna bravia em Novembro de 2010. Trata-se da segunda vez que esta contagem e estimativa de animais, utilizando meios aéreos, foi efectuada desde que se iniciou o Projecto de Restauração da Gorongosa.

 

Pic2.jpg

Alguns dos membros da equipa que participou na contagem aérea

 

As contagens aéreas que permitem estimar o número total de grandes mamíferos e a distribuição da fauna bravia efectuam-se de três em três anos. Esta informação é complementada com contagens efectuadas por via terrestre levadas a cabo por colaboradores do PNG  e por estudantes das universidades locais ao longo dos 120 km de picadas do Parque Nacional da Gorongosa.

As contagens aéreas requereram 30 horas e cobriram as zonas principais do Parque e também, pela primeira vez, a Serra da Gorongosa, que recentemente foi incorporada no Parque. Os resultados mostram uma sólida recuperação do número das espécies de ungulados nas zonas principais do Parque (ver a tabela abaixo).  


Pic1.jpg

* nas zonas principais do Parque
** translocados para o Santuário
*** os que foram libertados do Santuário estão excluídos
**** Hipopótamos, Zebras, Leões e Elandes não estão incluídos

A taxa de aumento anual é de 13.3% (39.8% em 3 anos). O aumento dos números dos Bois-Cavalos e Búfalos reintroduzidos, que foram mantidos para adaptação e reprodução na área protegida do Santuário de Fauna Bravia do Parque, é muito encorajador. Uma preocupação dos gestores da conservação está ligada à falta de recuperação dos grandes felinos e de outros carnívoros.


Pic3.jpg

Exemplo de uma manada de pala-palas recenseada

Existe alguma esperança em relação a uma auto-recuperação de zebras e elandes em função desta contagem aérea. Por outro lado a distribuição da fauna bravia revelou um sério impacto da caça furtiva em algumas zonas  do Parque.

Indelizmente, na Serra da Gorongosa, só foram identificados mamíferos domésticos. As contagens aéreas na Serra da Gorongosa foram usadas para efectuar um recenseamento das habitações e das clareiras florestais na área recentemente declarada como protegida.


Pic4.jpg
Exemplo de clareira na floresta húmida de montanha da Serra da Gorongosa

Particular atenção irá requerer a lenta recuperação dos hipopótamos no contexto de um Lago Urema muito assoreado bem como a reduzida área de movimentação dos elefantes devido à presença de comunidades humanas dentro do Parque.

Pesquisar

Pesquisar no Blog

Últimos comentários