Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Gorongosa

MENU

leao-calmo-G.N.P.jpg

Moçambique leva este ano mais empresários à Bolsa de Turismo de Lisboa, tendo já sete confirmações para o evento, cuja mudança de data "complicou" a participação moçambicana na congénere feira espanhola, disse hoje (terça-feira) à Lusa fonte oficial.

 

Moçambique tem participado assiduamente na Bolsa de Turismo de Lisboa (BTL), que este ano acontecerá de 23 a 27 de Fevereiro, e não em Janeiro como habitual, devido a "uma definição estratégica do conceito da feira", segundo justificou a directora do evento, Fátima Vila Maior. "Queremos descolá-la um pouco do princípio do ano para permitir aos operadores, e a outras empresas do sector, que criem pacotes e preçários para a BTL. Acreditamos também que, no final de Fevereiro, as pessoas estão mais propensas para compras", explicou Fátima Vila Maior.

 

Por outro lado, os responsáveis do evento pretendem também dedicar mais espaço este ano à Comunidade de Países de Língua Portuguesa, sob o lema "O destino Portugal e 10 milhões de quilómetros quadrados a falar português". Na presente edição, Moçambique vai participar com "mais de sete empresários", quando normalmente costuma levar entre "quatro a cinco" operadores, adiantou hoje à Lusa o assessor do Ministério moçambicano do Turismo, Rafael Nambale.

 

Entre eles estão, por exemplo, o Parque Nacional da Gorongosa, bem como os Grupos Pestana e Rany. No entender de Rafael Nambale, o aumento de expositores deve-se ao facto de os empresários terem "percebido que, para fazerem negócio, precisam de se expor".

 

Para Moçambique, porém, a mudança de data da BTL 2011 "complicou" a participação dos expositores nacionais na Feira Internacional de Turismo em Espanha (FITUR) 2011, que decorre a partir de quarta-feira e até dia 23, em Madrid. De acordo com o porta-voz do Ministério, "muitos expositores não querem fazer duas viagens em momentos diferentes, porque antes saíam de Lisboa e iam diretamente para Espanha. Agora não, têm que vir a Maputo". Por isso, adiantou, muitos acabaram por desistir da FITUR, que este ano contou apenas com a presença de três operadores moçambicanos, menos dois do que, no mínimo, costuma ser. No entanto, o país vai continuar a participar na BTL "nos mesmos moldes", "considerando que é um mercado tradicional e que já há um segmento de clientes", explicou Rafael Nambale.

 

Entendida como a "maior bolsa na Europa" e "uma das formas de atingir a Europa toda", a BTL tem sido por isso a aposta de Moçambique que, de acordo com o porta-voz, vai apresentar em Lisboa "aquilo em que é potencialmente forte: sol e praia", além das áreas de conservação e da gastronomia. "É um dos trampolins para a nossa imagem, por isso é que apostamos mais na BTL do que na FITUR", considerou Rafael Nambale, explicando "não ser fácil" quantificar os resultados da participação no evento. Mas, realçou: dado o crescimento dos investimentos portugueses em Moçambique, "chegamos à conclusão de que a participação na BTL contribui para esse crescimento, embora o Governo faça outras actividades de promoção do país".

 

Ver mais sobre a participação do Parque Nacional da Gorongosa em Feiras de Turismo internacionais em: http://www.gorongosa.net/news-events/future-events

Pesquisar

Pesquisar no Blog

Últimos comentários